8.09.2006

A corte....



7h00, o Sabiá já cantara toda a madrugada, talvez estivesse cansado de tanto cantar, mas o instinto e a força do amor foram mais fortes. O casal sobrevou a casa e pousando sobre o borda do telhado, a fêma num canto, o macho no outro, lá longe. Entre eles quase 4 metros de rufo de zinco, gelado ainda. Sabiá se aproxima, parando e cantando. Agita as asas, abaixa o bico, e a fêmea lá no canto do telhado, ele repetia os movimento e se aproximava, ela aguardando. De minha janela ainda vi quando os dois finalmente se dirigiram ao outro lado do telhado, já fora do meu campo de visão. De madrugada recomça o canto

3 comentários:

anapaulapazini disse...

Guto...não entendi essas fotos.... :-(

anapaulapazini disse...

Aaaaaaaaaaaahhhhh....agora entendi.....rs....Obrigada , Guto!!! Como é que não percebi que era uma história de amor ??!!! ;)

Sonia disse...

Bem bonito!